quinta-feira, 10 de março de 2011

CARNAVAL

Festa profana, onde a carne esquece o espírito. Esquecido, o espírito se afasta da carne nefasta, Que expõe sua face putrefata, À degenerescência moral, Quase morta, a sociedade Inerte se farta, das orgias Carnais, e outras farsas, em Buscas de prazeres enrustidos, Embora naturais, inconfessáveis, Frutos da inconteste fragilidade, Denigre o homem e sua imagem, Fere de morte a dignidade! Homens bêbados, perambulam Pelas ruas encharcados, da bestial euforia dos drogados. Perdidos, a caminho da orgia, Buscam fêmeas, que pululam alucinadas E se entregam, a barbáries e sodomias. Tudo podem, tudo é consentido, E a massa, ignorante, assimila faz da festa o templo da verdade, onde acham que Deus está presente e faz parte do bacanal decadente, Que aliena, as pessoas e suas mentes!

José Antonio da Silva – Rio de Janeiro-21/02/2009.

Um comentário:

Rebeca Gonçalves disse...

olá Pastor, td bem? Estava lendo seu post sobre carnaval. Eu também tenho blog, depois passa lá e dá sua opnião sobre minhas humildes opniões..rs
www.rebecagcamposc.blogspot.com
abraço!