terça-feira, 24 de junho de 2014

A “BENÇÃO” DA IGNORÂNCIA

Algumas pessoas entendem que a ignorância é uma benção, talvez se analisarmos em grosso modo seja, pois quem vive na ignorância está, dentro de seu próprio pensamento isento de toda a justiça. No seu pensamento encontram-se imune à responsabilidade que é inerente daqueles que detém o conhecimento, e consequentemente estão isento da culpa. A ignorância mantém o bruto em estado de alienação da realidade, uma boa ilustração disso é o filme MATRIX, onde as pessoas são usadas como pilhas, mas vivem numa realidade irreal, mas conivente às aspirações humanas de conforto e segurança.
Mas o fato é que ainda que o ignorante esteja alienado da sua culpa, ele não deixa de existir e de condená-lo, apenas o faz um transgressor das leis morais, ou juízo moral, levando direto a um estado de condenação irreversível, ainda que sendo usado, pode em si, fazer escolhas e se a faz na ignorância, maior Possibilidade de erro, suas consequências não fogem a realidade da vida.
A grande pergunta é: É a ignorância uma benção? Pode ser, depende da compreensão de quem vê, mas me atrevo a alistar alguns motivos pelos quais a ignorância não pode ser uma benção:
1 – A ignorância oprime – Milhares de pessoas ao redor do mundo são oprimidas por não conhecerem de fato seus direitos, por não compreenderem sua existência, e por não saberem conscientemente o que vem a ser vida, na essência da palavra, são escravas de sistemas injustos e totalitários e se sujeitam por entenderem que realmente são inferiores àqueles que detém o conhecimento.
2 – A ignorância aliena – A pessoas sem consciência de si, vivem uma vida medíocre, subjugando suas faculdades mentais a um estado de inércia do pensamento, vivem como animais, que buscam de modo instintivo atender suas necessidades mais primárias como comer, procriar, sobreviver. Não produzem nada. Vivem e não descobrem o que são nem a que vieram. Estão entregues ao ócio e ao vício. Em putrefação da alma.
3 – A ignorância mata – quando ignorantes as pessoas não podem correr atrás de seus direitos, não o fazem valer, e gritam e não são ouvidos pela sociedade, pessoas ignorantes vendem o seu direito, para mendigá-los depois aos sistemas políticos corruptos que dirigem as sociedades constituídas. Concomitantemente a isso são vítimas do descaso que as autoridades eleitas por eles fazem da sua existência. Trocam seu voto por comida, emprego, todos direitos seus que são vendidos ou trocados como favores.
4 – A ignorância fomenta sociedades injustas – A ignorância de um povo é seu maior algoz, quanto mais ignorante a sociedade mais injusta ela se torna. A educação tira o homem do estado de animal irracional e o eleva a condição de homem, o homem polido é alguém que conhece a sua existência e sabe qual sua finalidade, como seres humanos devemos produzir para que a sociedade seja mais justa e igualitária, mas ao contrário disso a ignorância leva a sociedade a violência, e as desigualdades transformando as pessoas em pedaços de carne, ou objetos que podem ser desprezados ao bel-prazer de alguns poucos.
A ignorância não é uma benção para ninguém, é um câncer na sociedade e destrói a vida das pessoas fazendo delas pessoas infelizes, que mendigam momentos de prazer, que terminam em violência, por exemplo, o comportamento de torcedores violentos em estádios de futebol. Vão ao estádio e colocam sobre seu time, suas frustrações, seus fracassos, e quando e aproveitam para expressarem a violência a que são submetidos pelos sistemas políticos constituídos e corrompidos por homens e mulheres inescrupulosos. Se todos refletirem a respeito do mal que a ignorância traz, verão que certamente a ignorância não é uma benção, e sim uma maldição.


Um comentário:

Douglas Gaspar disse...

A Referencia do filme matrix, é uma ótima comparação a ignorância, que muitas vezes conhecemos e não mudamos por ser bem mais fácil estar acomodado. Como o pecado, que nos cega em nosso próprio prazer e nos oprime, aliena e mata.