quinta-feira, 6 de junho de 2013

A INCOMPATIBILIDADE ENTRE O PECADO E A GRAÇA

Quando criei esse blog em propus a falar da vida cotidiana a luz do texto bíblico e das promessa de Cristo para essa geração, a priori, a ideia era fazer uma análise crítica dos acontecimentos sociais e mostrar a todos que se dignassem a ler minhas postagens como Deus conhece o homem e tudo o que dele pode demandar, não me passou em nenhum momento discutir assuntos de cunho teológico ou mesmo uma demonstração bíblica de como deveria ser a vida - mesmo porque entendo que a mudança de comportamento do ser humano, deriva de uma mudança de pensamento e leia-se por pensamento, caráter, e não um modus operandi social - mas percebi que negar a sabedoria dos céus, no intuito de não afastar aqueles que me leem    seria jogar na defensiva, e time joga na retranca, não vê resultados positivos, a longo prazo constata que era melhor ter arriscado e fazer alguns gols, do que não sofrer alguns e não ganhar nada, viver na linha da mediocridade, então ao dar uma aula ontem no livro de Romanos - estamos estudando o livro de Romanos na Igreja - vi que a verdade que liberta a alma do homem é a verdade de Deus, não a verdade subjetiva, baseada no conjunto de crenças de um homem, na verdade que transcende a fragilidade humana e traz para si uma verdade única capaz de fazer ver aquilo que a olhos nus não se percebe, sentir com a essência, transcender os cinco sentidos básicos da frágil e perecível carne humana.
Então me atrevo aqui mesmo que em poucas palavras falar um pouco do percebi nesse texto muito valioso da palavra de Deus. Após tratar de uma série de assuntos com os Romanos, assuntos esses que talvez possa escrever em outro momento, depois de falar do imensurável amor de Deus pelo homem, no capítulo 5, o Apóstolo Paulo fala de mudança, mudança que ocorre de dentro para fora, não de fora para dentro. Começa o capítulo questionando se alguém que fora alcançado pela graça, pode viver no pecado e do pecado, em seguida dá ele mesmo a resposta: "de modo nenhum", o pecado é incompatível com a graça, o homem pode até pecar, mas não pode viver no pecado, não pode viver pecando, pois o amor de Cristo nos constrange e se houve realmente uma conversão há uma mudança de caráter e se há uma mudança de caráter, há uma mudança de pensamento, e se há uma mudança de pensamento, há uma mudança de comportamento. Onde reina a graça não pode reinar o pecado, o que Cristo espera das pessoas, daqueles que o adoram " Em espírito e em verdade" é muito mais do que uma simples mudança de comportamento, ele espera uma mudança na alma, mudança essa que é fatalmente refletida em todos os aspectos da vida do homem. Enfatiza com grande sabedoria - afinal o apóstolo Paulo é um homem de Deus, orientado pelo seu Santo Espírito - que o homem regenerado usa o seu corpo para a justiça, pois já o pecado não reina na sua vida. Todos sabem da devassidão característica das práticas sexuais e sociais dos Romanos. Paulo diz que o velho homem, ou seja, aquele que vivia no pecado, depois de regenerado, vive não mais para o pecado mas para Deus em Cristo Jesus, nosso Senhor, se se prostituía, não mais vive na prostituição, se traficava, não trafica mais, se era corrupto, não mais será corrupto, pois como dito anteriormente, o Amor de Cristo nos constrange e somos confrontados a todo momento conosco e com Espírito Santo que atua mais energicamente sobre nossas vidas. É impossível ao que crê em Cristo, obviamente, viver numa vida de pecado. Muitas discussões pode descender desta afirmação, mas há uma lógica na defesa paulina, existe uma grande diferença entre o indivíduo pecar, e viver no pecado. A Bíblia admite que ainda depois de convertido o servo de Cristo possa tropeçar, mas o conselho é que no mesmo momento peça perdão a Deus e levante-se de onde caiu. O que vive no pecado, não tem problema de consciência com isso e por tanto pode até ter mudado por um tempo o seu comportamento, mas não houve uma conversão genuína, pois o pecado ainda reina sobre o tal e quando alcançado pela graça, o indivíduo tem forças de dizer não ao pecado, ou seja, a vida de pecado. Quando afirma que a lei não mais tem poder sobre aqueles que receberam a Cristo, é porque a essência deste produz um comportamento refletivo de Cristo e a lei não mais revela uma vida pecaminosa. Em suma o pecado é incompatível com o pecado, assim como a luz é incompatível com as trevas, pois a luz dissipa as trevas e as trevas nada mais são do que ausência de luz,  é como o amor e o ódio, onde reina o ódio, não há amor, onde impera o amor, não reina o ódio, desse modo, onde há graça não reina o pecado. Todos os nossos esforços são voltados para a santificação em Cristo Jesus nosso Senhor a fim de que todos que olhem para nós vejam o reflexo da graça, o reflexo de Cristo.

Deus abençoe a todos.

Pr. Emerson Brasiliano

Um comentário:

Fruto do Espírito disse...

A Paz de Cristo,
Acessar seu espaço me fez muito bem!
Louvo a Deus pela sua vida, e pelos artigos postados.
Parabéns!!!

Deixo uma lembrancinha que fiz, espero que goste do acróstico:

C ultivar uma vida de oração.
R evigorar-se pela leitura diária da Palavra.
E star sempre disposto a obedecer a Deus.
S er uma testemunha fiel no viver e no falar.
C onsagrar a Deus seu corpo, tempo e talentos.
E sperar de Deus a orientação para a vida.
R evestir-se do poder do Espírito Santo.

Precisamos CRESCER, na Graça e no conhecimento do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

E o Deus da paz vos santifique em tudo, e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.
I Tessalonicenses 5. 23

A propósito, caso ainda não esteja seguindo o meu blog, deixo o convite:
Fruto do Espírito

APDSJC!
***Lucy***

P.S. Deixo o convite para também conhecer o blog do irmão J.C. de Araújo.

Mensagens atuais, outras polêmicas, porém abençoadoras.

Discípulo de Cristo